A filosofia do método EASY BLUES de cursos online

A filosofia do método EASY BLUES de cursos online

Na guitarra há muitas formas de expressão. Diferentes técnicas ou maneiras de tocar ajudam a expressar diferentes ideias musicais e emocionais. Eu penso que a técnica deve estar SEMPRE a serviço de viabilizar a expressão de emoções e ideias que temos dentro de nós. O grande perigo com muitos métodos ou com a abordagem feita por seus usuários é a técnica acabar ficando no centro do pensamento musical e se tornando mais importante do que a expressão musical. E isso não pode acontecer.
Isso não pode acontecer, primeiramente, pelo simples fato de que o que importa, o que fez com que um dia pegássemos o instrumento e decidíssemos aprendê-lo foi a ideia de nos expressarmos musicalmente, seja criando coisas, seja replicando e imitando, não importa – nem todo mundo quer ser músico profissional. Mas, estou certo de que todo mundo, do seu jeito, pelos seus próprios motivos, quer se expressar através de seu instrumento da maneira mais satisfatória e completa possível. Seja tentando tocar igual a seu ídolo, seja apenas tocando os acordes de uma canção que gosta, seja tentando criar música que nunca foi feita antes, e assim por diante.
O segundo motivo pelo qual eu digo que não pode acontecer da técnica passar a ser o ponto principal de uma vivência musical é o fato de que, de certa forma, isso exclui muita gente da possibilidade de ser feliz tocando seu instrumento, criando desnecessária frustração e insatisfação. Por quê? Porque é extremamente provável que a grande maioria dos interessados em aprender um instrumento nunca vai conseguir chegar a um nível técnico próximo ao dos grandes músicos do mundo. Seja por falta de alguma aptidão específica, seja por falta de tempo para a total dedicação que isso implicaria, seja por falta de disposição para tamanho esforço.
Acontece que eu estou aqui para dizer que isso não é necessário! Você pode atingir aquele objetivo inicial de se expressar musicalmente de maneira completa de acordo com suas ambições. E isso deve acontecer dentro do SEU contexto de vida, levando em conta todos fatores de seu cotidiano, principalmente o fator tempo,
Vamos falar de blues, que é o gênero musical central para nossa conversa aqui. Pensa bem, quantos músicos que você conhece e admira que tocam de maneira impossível de você alcançar? Na verdade, pensando proporcionalmente, não são tantos assim, né? Agora, o mais importante, pense nos músicos que você admira que tocam de maneira que você CONSEGUE alcançar tecnicamente com um mínimo de esforço – principalmente seguindo os passos que eu vou te mostrar nessa metodologia. De quantos músicos você consegue tocar partes de solo, frases, e usar nos seus próprios solos? MUITOS, não é verdade?! A grande MAIORIA!
Então, pensa bem, se você tem dificuldades que estão te tirando a possibilidade de se satisfazer no seu instrumento, ou seja, te tirando a oportunidade de ser uma pessoa mais feliz e completa, por que focar mais nos músicos da primeira categoria?
Nunca perca de perspectiva, que essa mudança que estou propondo se diz respeito a VOCÊ se realizando na guitarra, não estou dizendo para parar de admirar, se inspirar, ouvir, ter prazer e satisfação acompanhando o trabalho daqueles músicos hiper técnicos. Inclusive, pode ser que você tenha objetivos de chegar nesse nível técnico mais ‘ninja’ num futuro X, absolutamente nada contra (pelo contrário!). Mas o que não pode acontecer é isso que deveria ser prazer e realização se tornar fonte de frustração, concorda?
Então é isso o que eu proponho, é isso que é EASY BLUES. “Easy” no duplo sentido de ser fácil de tocar mas também na acepção da palavra inglesa que diz respeito a “suave”, “sutil”, “com calma”, “prazeroso”. Então: VAMOS SER FELIZES?!!!!

Leave a Comment